O que você encontra aqui?

Coisas do mundo e conceitos da autora, que tem uma visão contemporânea do comportamento humano.

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Pontos de exclamação nas relações




Para levar as relações em um ou vários pontos. Não finais!

Ei, vamos partir do princípio, nesse texto, de que estamos falando de relações adultas e que deveriam ser maduras, ok? E para aprofundar, de relações entre pessoas que não estejam iniciando nesse tipo de relação (e teoricamente, tenham uma certa dose de experiência no assunto); logo, aqui ninguém precisa se chocar ou fazer carinha de falso pudico, combinado?

Bem, vamos ao assunto.

De fato, existe sexo pelo sexo? De fato, alguém consegue, de fato, manter uma relação só pelo sexo? E sem o sexo, consegue?

São duas coisas diferentes, é claro. No sexo pelo sexo, existe uma negação ou privação do sentimento. Reparou no negação? E privação?

Negação = do ato de negar; o que se nega, o que não se admite como verdade
Privação = do ato de privar e impedir; perda de um bem, de uma vantagem, de uma característica normal

Um dos dois pode estar negando. E o outro, privando. Ou os dois, uma coisa só.

E na relação sem o sexo, pode existir a anulação.

Anulação = do ato de anular ou anular-se; cancelamento

Alguém consegue isso? Ah, conseguem, sim. E infelizmente, muitos em muitas relações.

E afinal, existem muitos comportamentos nocivos entre relacionamentos que envolvam o emocional ligado a sexo e vice-versa. Mas nesse texto, vou mencionar três. Eles não estão em ordem de importância, apenas estão listados.

O primeiro: Não tenha medo de se apaixonar.
E mesmo que seja somente sexo, para ser bom por algum tempo mais do que 3 encontros, desculpe... algum envolvimento emocional você vai acabar tendo. Ao menos se quiser o máximo do sexo. Sim... porque mesmo que seja “somente sexo”, é bom que tenha uma dose de sentimento. Afinal, diz-se que sentimento e racionalidade é o que nos separam dos animais. Ou não separam?

O segundo: Seduza durante, não somente antes.
Se por acaso o caso tornar-se relação, invista. Investir pode ter conotações diferentes para homens e mulheres (ouvi isso de um amigo-amigo, com sua visão super útil de homem, para que eu pudesse entender melhor a cabeça deles). Não sei uma fórmula para esse investimento, isso cada um encontra a sua, de acordo com a relação.

O terceiro: Se for terminar, termine.
Não suma, simplesmente. Se você foi capaz de começar a relação, assuma o término também. Não desapareça simplesmente. Desaparecer sem explicações é tão chato!

Falo isso ao menos para as relações mais maduras, depois que você passa dos 30 anos. Com 31, já tá valendo, ok?



E o problema é que falamos demais nas entrelinhas. Começamos relações com várias exclamações e a acabamos com ponto final sem nada avisar.

Para que no futuro sempre possamos bater na porta com reticências (isso é o que pretendemos)...

Dessa forma, deixamos interrogações na vida das pessoas, achando que isso não queimará nossa imagem.

E é exatamente isso que pode colocar um ponto sem possibilidade de novo início de frase.

Se começou com exclamações qualquer tipo de relação, saiba terminar da mesma forma.

E não é colocando o ponto, sem aviso prévio, que isso acontecerá.

Charles, O CHAPLIN. Um gênio que deixou sua sabedoria como patrimônio.

Para que no mínimo, a gente pudesse pensar mais. E o futuro: é agora. Repare nos dois pontos.


Ah, e não esqueça das vírgulas. Elas são bem mais simpáticas, que tal?

Nenhum comentário:

EBAAAA! Bom te ver!


Penso, logo, existo. E... se você está aqui, quer saber como eu penso. Se quer saber como eu penso, no mínimo, é curioso.


Curiosos ALOHA fazem bem para o mundo. Então, é nós no mundo, porque não viemos aqui a passeio!


Busco uma visão de longo alcance, sem aceitar verdades absolutas, preservando valores ALOHA, que são o ideal para um mundo mais honesto e verdadeiro.

Assuntos desse blog

Siga-me por email