O que você encontra aqui?

Coisas do mundo e conceitos da autora, que tem uma visão contemporânea do comportamento humano.

sábado, 19 de dezembro de 2015

Momentos insanos e casais simbióticos




Talvez ser especial para alguém, não baste. Talvez porque o ser especial para um, seja diferente que para outro. 



Sabe aquele momento da vida, que por mais que você saiba o que quer, tem vontade de não querer? Porque não basta você querer. O outro também tem de querer. De fato. E isso vai tirando você do seu centro. Desestabiliza você. 

Quando você não tem respostas de fora, você as busca de dentro de você. E isso faz você criar hipóteses. Pressupor alguma coisa. Isso pode tornar você uma pessoa chata. Insistente. Que cobra. Fica pesada.

Embora existam sábios que dizem que as respostas sempre estão dentro de você, não acho que isso funcione exatamente assim. Nós precisamos conversar com as pessoas de nossas relações, sejam de que tipo quer que sejam.

E sabe quando você cansa de ser quem é? Por mais que saiba que esteja certo? Porque sabe que o peso de suas decisões lhe cansam tanto que você se arrepende de muito e muito que já fez?

Quando você sabe que suas certezas são certas, mas que as pessoas são uma verdadeira meleca? E inclusive, você é? Confusas e complexas?

Não são as situações que são estranhas. Pessoas são. Estranhas ao extremo. Porque somos complexos. E quanto menos mexemos nisso, pior será.

E sabe quando você fica com raiva de você mesmo, por acreditar em pessoas? Quando você acha que já viu tudo, e ainda tem muito prá ver? Não de situações, mas de pessoas. Que são mais personas, que pessoas.

Por mais que eu acredite em pessoas, realmente queria não ter que me aprofundar nelas, porém é exatamente por isso que estamos aqui, para resolver relações. Isso pode nos evoluir ou fazer com que percamos a oportunidade de buscar essa evolução. 

Pessoas são estranhas. E criam emaranhados. E magoam. E nós também acabamos fazendo o mesmo.

Tem dias, que não são bons. Mas talvez, você os veja daqui um tempo, e diga: hello... como você caiu nessa situação? Caímos porque queremos acreditar que nada disso, é. Caímos porque queremos algo. QUEREMOS.

Golpes no estômago. Socos na alma. Fazem isso o tempo todo. Personas fazem. Pessoas, não.

E POR FAVOR: Não venha dizer que pessoas mais velhas são maduras. Tenho visto as piores melecas da vida feitas por gente na faixa dos 40 até os 60 anos. Não existe atestado de garantia por tempo nos erros que cometemos.

É fácil ser segura quando você tem as respostas. A presença. O zelo. De resto, fale quanto quiser, a verdade é uma só: pessoas se tornam reflexos de como são tratadas. Não chegamos em um grau de espiritualidade tão elevado que possamos ser insensíveis a falta de atenção e falta de empatia.



Pois então. Pegar é fácil. Manter, é que são elas. No fundo, no fundo... mulheres, homens, ou seja lá o que você seja...

O que todos querem é isso. Manutenção de algo que pode ser ou poderia ter sido forever.

Tudo pode ser para sempre. No mínimo, dentro da gente. A questão é: não mate sentimentos. Não mate pessoas por dentro. Ou mate, para sua própria sobrevivência. MAS AVISE. FALE. Para que o outro também tenha a mesma oportunidade de matar você, de dentro dessa pessoa. Não seja egoísta. Afinal, alguém gostar de você, torna você, responsável por esse alguém. Se é que você tem sangue nas veias, é claro. Veja isso, tente não fazer:


  
E em contrapartida, existem os CASAIS SIMBIÓTICOS. Aqueles que prezam isso: encontro assumido = encontro de almas que se valorizaram.

Existem casais assim: bonitos juntos. Complementares. Únicos porém unos. Bonitos separados, mas exuberantemente lindos, juntos.

Existem casais assim. É construção? Um tanto quanto.

É por acaso? Hello, existe o acaso ou a sincronicidade, algo que se quer e se busca? Não sei. Só sei que já vi casais assim. E são lindos, intocáveis.

Todos podem ser? Todos podem ter? Não sei. Mas no mínimo, tem que querer.

Existem teses por aí de "blindar o casamento" ou aplicar "a arte da sedução". Sabe o que acho mesmo disso? BULSHITT.

Tem que ser natural. Tipo, tem que ser. Mas acima de tudo, querer. Tipo chega e toma, sem muita cerimônia. Mas com intensidade. E zelo.

Sexo pelo sexo? P.A.? Pênis Amigo? Sei não. Na boa, sei não. E não se trata de idade, se trata de posição de vida. Na real, pense a respeito:


NÃO QUER, NÃO CATIVA. NÃO QUER DE VERDADE, NEM COMEÇA.


Nenhum comentário:

EBAAAA! Bom te ver!


Penso, logo, existo. E... se você está aqui, quer saber como eu penso. Se quer saber como eu penso, no mínimo, é curioso.


Curiosos ALOHA fazem bem para o mundo. Então, é nós no mundo, porque não viemos aqui a passeio!


Busco uma visão de longo alcance, sem aceitar verdades absolutas, preservando valores ALOHA, que são o ideal para um mundo mais honesto e verdadeiro.

Assuntos desse blog

Siga-me por email