O que você encontra aqui?

Coisas do mundo e conceitos da autora, que tem uma visão contemporânea do comportamento humano.

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Scorpio na Alma


Nossa fama...


Ou nossa fama? Nossa fama! E sim: nossa fama.

Viu a imagem de introdução desse post? Então eu digo: agir pela ação.

E alguém falou: “Pero una decisión precipitada acaba con el deseo”.

Perfeito. Por isso, desejos estão sendo superados constantemente. E trocados quase que instantaneamente: porque não estamos pensando suficientemente. Desejos Líquidos (adaptado de Bauman, o querido).


A questão é priorizar a falha com menor risco que nos leva a melhor decisão.


As possibilidades que nos permitimos são o que nos tornam únicos.
Únicos Scorpios.

terça-feira, 27 de junho de 2017

Pública na Privada


Tem tanta gente pública se metendo na privada e falta tanta gente privada se envolvendo na pública!

Estamos vivendo uma época de pouca ou nenhuma participação política. E quando ela existe, torna-se uma verdadeira... palhaçada.


Só que dessas palhaçadas, não se tem motivos para rir. Há algum tempo, tenho dito que o BRASIL tornou-se Brasillis, e sendo Brasilis ou Brasil, é o PPP: País da Piada Pronta.


Nossa. Vou apontar algumas questões genéricas (sem citar políticos específicos, ou mesmo partidos):

- Se fala mais de religião ou se pretende implantar normas e leis que regulamentem comportamentos que são estritamente, decisões pessoais, como orientação sexual ou escolhas religiosas

- Existe corrupção ao extremo em todas esferas, e inclusive, nos partidos ditos defensores dos direitos da “massa” e do povo

- Fica-se sabendo de benefícios esdrúxulos inviáveis, para pessoas que nem sequer políticas são (parentes de políticos, os queridos e queridas)

E muitas outras coisas.

A verdade, é que cada um deveria ficar no seu quadrado. Ou aquário, talvez.


Mas bem que mais pessoas deveriam participar efetivamente, da vida política. Sem polarizações, é claro. Porque polarizar, nos torna um tanto quanto, burrinhos.



Relacionamentos que sobram


Sim. Yes. Siempre. Immer. Ces't la vie. Akai Ito.
A verdade é que nem todos os casais são lindos.

Mas existem aqueles que são casais que lutam (ambos), por um amor de construção. Amor que exige trabalho. Mas que é único. É brilhante. Lindo. E forte.

Todos os relacionamentos=namoros=casamentos ou até crushs (sim, até esses últimos), podem ser sim, lindos. Ótimos. Verdadeiros. Únicos. Impenetráveis. Acredite. Eu conheço casais assim. Mas também conheço muito casamento (ou chame como quiser) que é uma mentira tão grande que não passa de um surreal faz-de-conta, com dois seres que se tornaram completamente cínicos brincando de casinha.


E sabe por onde começa?
Mentiras e inverdades.
Falta de sintonia.
Objetivos disformes.
Diferenças grotescas.
Janelas fechadas. Que não abrem portas de corações.


Faltam risadas. Faltam músicas. Faltam promessas cumpridas. Falta descer a duna com emoção. Falta zelo. Falta atenção. E falta sexo. Muito sexo.

Sobra olhar para os lados. Sobram contatos.

Sobra "Bom dia, amada" para amadas não amadas. Ou "Oi, gatão".

Sobra covardia. Sobram opções.

Sobra tudo que nos faz perder de nós mesmos.

Sobra achar que sempre vai haver alguém melhor quando nem nós mesmos, somos tão bons assim.

Falta maturidade emocional. Falta saber o que de fato, se quer.

E o poliamor? Bem, ele existe. É é válido desde que validado por todos os lados.

Pense mais. Seja mais. Viva de verdade a sua verdade. Mais.

Out off the House


Afinal, o que é ser "Out off the House"? Você é? Nunca? Sempre?

Perceber o que acontece à nossa volta e olhar mais com a alma é um desafio. Existe muita gente sorrindo mas que por dentro, pede help. Apesar de tanto se falar em autenticidade, nunca se fez tanto disso: "Faço de conta que sou happy e você faz de conta que acredita".


Foi a pior coisa que inventaram. Inventou. Ele. Livre arbítrio.


Ah, quer ver coisas “fora da casinha” (ou nem tanto)?




segunda-feira, 26 de junho de 2017

Por um mundo mais gente e menos hiena


Sabe como é o comportamento de uma hiena? Egoísta, invejoso e covarde.


Por um mundo com pessoas menos hienas. Mais leões. Golfinhos. Águias.
E formigas.


Por um mundo mais GENTE.
Gente que apoia. Outra gente. Mais.
Gente que ri de si mesmo e não dos outros. Mais.
Gente que ajuda com pró atividade. Mais.
Gente que estimula mais gente. Mais.
Gente que é gente e lembra que gente erra e percebe a hora de não julgar. Mais.

Quando a gente perceber que toda gente deve ser mais gente, seremos mais.
Seremos mais pontes.

Concordo com Carpinejar em número, gênero e alma. Seres NÃO humanos. Veja: https://www.brasil247.com/pt/247/cultura/302995


Nunca deixe uma hiena saber o quanto você pode morder.

Visualizada e ignorada com sucesso


Sim. Tem gente esperando até agora.


A gente pode até rir disso. Pode fazer até tss. Tss. Dar de ombros. Achar normal. Tudo é consolo.

Mas não é. Não é legal. Bacana. Não é educado.

E não estou falando de mensagens profissionais. Porque as profissionais, são um pouco invasivas, às vezes. Falo das mensagens de pessoa física para pessoa física. Aham. Respeito é pessoa. Não persona.


Podemos ser o espinho NA vida dos outros ou podemos retirá-lo DA vida dos outros. Nós escolhemos o papel que representaremos pelo tempo que a peça da vida estiver em cartaz.


Fazemos assim com pessoas? Criamos e geramos expectativas. E depois jogamos em latas de lixo

(a pontuação no final da frase não foi inserida, porque fiquei em dúvida entre um . ou uma ?)


Existem 3 leis no universo que nunca falham. Será? Tô esperando. Retorno. Mérito. Verdade.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Combustão do Congelamento


Amo o futuro. Adoro o presente. Gosto do passado mas não sou apegada a ele. Não sou saudosista. Prefiro moda, música, tecnologia, o futuro. Ficção científica e tendências. Analiso muito.

Mas acho que é muito cansativa essa forma atual de relacionamentos fúteis (veja artigo indicado no final dessa postagem). E repare: até os relacionamentos "oficiais", andam cada vez mais...

... fúteis
... cínicos
... mentirosos
... sem conteúdo
... completamente vazios
... totalmente não intensos e com pessoas descendo a duna sem emoção.

Que chato. Que saco. Que carambaralho. Que caraca. Que M.E.R.D.A.


Pensa só: pode tornar-se uma caipirinha, que tal? Olha:


Pois li e me inspirei: mulher não aceita tudo porque sabe o que quer. Quem aceita qualquer coisa, é menina. E que se entenda isso por mulheres. E homens. Logo, não somos chatas ou cobramos demais. Apenas seria bom que todos soubessem o que querem. E não sofressem de dissonância cognitiva. E fossem menos fúteis no que sentem. Fazem. Difícil mundo das indecisões. Já dizia Shakes. Peare. Shakespeare.
Ser
ou
Não ser

This is the question. E eu completo: ter ou não ter. Fazer ou não. Tanta coisa.


 Ok. Mas isso não depende somente de nós. Depende do outro. Querer.


A questão é simples. E envolve essa expressão criada by me: Combustão do Congelamento. Por um mundo com mais coragem de permanecer.

Puxa o band-aid de uma vez, carambaralho!


Como diz o Shrek: "Melhor para fora do que para dentro".

Nascemos sem trazer nada. E morremos sem nada levar. E entre um e outro tempo, brigamos por tantas coisas que nada valem...

... c a r a m b a r a l h o !!!


Sempre relativo. É o porque. Porque junto.


Como disse um amigo: "O mundo real está drogado".


O que você já fez que gostaria de deletar?


Tem coisas na vida, que só assim. É #nemtenteientender.


Eu não consigo. Prefiro uma verdade doída rapidamente que uma mentira em conta-gotas.


PUXA O BAND-AID de uma vez, car.... AMBA. Diga de uma vez a verdade.


EBAAAA! Bom te ver!


Penso, logo, existo. E... se você está aqui, quer saber como eu penso. Se quer saber como eu penso, no mínimo, é curioso.


Curiosos ALOHA fazem bem para o mundo. Então, é nós no mundo, porque não viemos aqui a passeio!


Busco uma visão de longo alcance, sem aceitar verdades absolutas, preservando valores ALOHA, que são o ideal para um mundo mais honesto e verdadeiro.

Assuntos desse blog

Siga-me por email