O que você encontra aqui?

Coisas do mundo e conceitos da autora, que tem uma visão contemporânea do comportamento humano.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Mimadex de Plantão


O que será desse mundo que tanto se parece com um não mundo? Crianças imaturas oriundas de adultos inseguros e a valorização da “Geração da opinião em tudo o tempo todo.”

Vivemos uma época em que:


“Crianças Totós? São hoje definidas como crianças super protegidas.”

“Porque o confronto é uma forma preciosa de aprendizagem na vida humana. E nós estamos a retirá-los de tudo isso. Estamos a dar tudo pronto e não estamos a confrontá-los com nada.”

2)Adultos inseguros que preferem fugir das responsabilidades ao invés de confrontar com o que poderia ser melhor a todos. Não seria melhor impor limites? Veja http://www.paisefilhos.com.br/noticias/apresentadora-defende-ideia-absurda-de-proibir-criancas-em-restaurantes/

“...... tanto rebuliço porque um restaurante no Brasil fez o que muitos restaurantes franceses fazem há séculos: proibiu entrada de crianças menores que 14 anos.”

3)E essa matéria é sensacional, vale a pena entender os preceitos da educação francesa. Veja http://claudia.abril.com.br/sua-vida/o-modo-frances-de-educar-os-filhos-revela-e-preciso-preservar-os-direitos-dos-pais/

“...... ela resolveu investigar as origens desse comportamento civilizado, que está na forma como as mães francesas criam os filhos. O segredo? Não vivem em função deles nem tratam as crianças como pequenos reis. Elas não toleram birras, não negociam nem passam o fim de semana acompanhando os pequenos em parquinhos ou festas infantis. Em resumo, educam, mas conseguem manter a vida adulta sem transformar seu mundo num playground.”

“As francesas sabem dizer não e ponto.”

“...... a diferença é que na cultura americana os pais se perdem em longas explicações desnecessárias para os filhos pequenos.”

“Se houver réplica, Ceres sugere a resposta: “Porque sou sua mãe e sei o que é melhor”. É na adolescência, quando caberia esticar a conversa, que muitos pais, exaustos, optam pelo “não e ponto”. “São comportamentos invertidos. A criança precisa ser obediente na infância para na adolescência se tornar um ser desobediente.””

“As crianças aprendem a respeitar o alimento.”

“Eles se permitem acreditar que o pequeno pode estar apenas resmungando ou sonhando. Ou que logo voltará a dormir. “Pais que se revezam no quarto do filho criam um condicionamento inadequado.””

“Sob diversos aspectos, os franceses esperam mais de uma criança, ainda que ela seja apenas uma criança. Isso significa que os pequenos não só devem dizer “por favor” e “obrigado” mas também bonjour e au revoir aos adultos. Eles ainda devem aprender a esperar, seja em nome da paz doméstica, seja para evitar constrangimento social.”

“Aqui, vivemos a era do ‘filiarcado’, em que os filhos reinam.”

“Mesmo boas mães podem não viver a serviço constante das crianças, e não há razão para se culpar por isso.”

Vamos deixar de ser tão mimadinhos só um pouquinho, por favorzinho?



Nenhum comentário:

EBAAAA! Bom te ver!


Penso, logo, existo. E... se você está aqui, quer saber como eu penso. Se quer saber como eu penso, no mínimo, é curioso.


Curiosos ALOHA fazem bem para o mundo. Então, é nós no mundo, porque não viemos aqui a passeio!


Busco uma visão de longo alcance, sem aceitar verdades absolutas, preservando valores ALOHA, que são o ideal para um mundo mais honesto e verdadeiro.

Assuntos desse blog

Siga-me por email