O que você encontra aqui?

Coisas do mundo e conceitos da autora, que tem uma visão contemporânea do comportamento humano.

domingo, 31 de janeiro de 2016

Dores na Alma




Lindo trabalho. Veja o link no final desse texto.

Respeito a todos que passaram, estão passando ou passarão pelo mesmo. Perceba isso. Pode acontecer com qualquer um. Com você. Ou com quem está perto de você. Para aqueles que são dotados de uma adrenalina interna, e sabem diferenciar tristeza de depressão, entendamos: nem sempre será fácil para todos.

Mas ei, não confunda as duas coisas. Eu fico triste. Não depressiva. Mas conheço muitos que ultrapassam a barreira da tristeza.

Entenda. Respeite. Ajude.

A alguns anos, após a lesão de meu joelho, dos meus 13 centímetros abençoados de uma cicatriz, no dia seguinte à cirurgia...
... uma Psicóloga em atendimento no hospital (sim, existia esse serviço no meu plano), me visitou.

Conversamos um bocado. Obviamente, porque falo muito. Eu tentava mexer minha perna (sim, comecei a fisioterapia no dia seguinte a cirurgia (graças ao meu querido médico Sandro)) e não conseguia. Fazia força. Doía muito. A base de morfina. Imagina. Eu disse a Psicóloga: "Nossa, a dor física é tão horrível! Não entendo como algumas pessoas têm tanta dificuldade em sair de uma depressão. A dor física é tão mais impotente do que a dor psicológica!"

Ignorância a minha, me perdoem.

A sábia Psicóloga me respondeu: "Dóris, você não entende porque não está sendo empática. A dor psicológica nem sempre pode ser auxiliada por uma fisioterapia. Por mais que seu joelho esteja doendo, com muito esforço e fisioterapia, você tem grande chance de melhorar muito, sem retroceder. Seu joelho nunca será o mesmo, mas poderá andar. Já a dor psicológica, pode deixar cicatrizes tão profundas que se não observadas, abrirão novamente a ferida, de forma muito mais nociva."

A partir daquele dia, nunca mais menosprezei as dores da alma. A gente aprende. Me perdoem.

Nenhum comentário:

EBAAAA! Bom te ver!


Penso, logo, existo. E... se você está aqui, quer saber como eu penso. Se quer saber como eu penso, no mínimo, é curioso.


Curiosos ALOHA fazem bem para o mundo. Então, é nós no mundo, porque não viemos aqui a passeio!


Busco uma visão de longo alcance, sem aceitar verdades absolutas, preservando valores ALOHA, que são o ideal para um mundo mais honesto e verdadeiro.

Assuntos desse blog

Siga-me por email