O que você encontra aqui?

Coisas do mundo e conceitos da autora, que tem uma visão contemporânea do comportamento humano.

terça-feira, 16 de junho de 2009

Amores e Festa de São João



Mês de Junho, mês de festas juninas. É festa de São João, tem pinhão, quentão, pipoca, quadrilha, preces e simpatias a Santo Antônio Casamenteiro (Ô, seu querido...). Amigo Santo, peço que gere muitos casamentos, uai sô!

Definição de Festas Juninas: "A Festa Junina é oriunda dos festejos católicos do mês de junho, onde são comemorados os dias de Santo Antonio, São Pedro e São João. Os festejos foram trazidos para o Brasil pelos colonizadores portugueses e desde então difundido geração após geração. As tradições fazem parte das comemorações, tais como a fogueira, os doces e comidas tipicas, o quentão (bebida tipica da época), o vinho quente, a dança da quadrilha, o pãozinho de Santo António, etc. É uma época que quase todo mundo gosta, e sendo o mês de Junho inverno no Brasil, o clima propicia o aconchego que estas festas nos proporcionam." (da internet)




Simpatias:

>> Sai casamento? Para ter certeza de que você vai se casar, coloque duas agulhas em um prato com água, à meia-noite do dia 12 para o dia 13 de junho. Se elas amanhecerem juntas, é garantia de casamento.
>> Nome do futuro marido (esposa)? Na noite de São João, do dia 23 para o dia 24, enfie uma faca virgem em uma bananeira. No dia seguinte o nome da pessoa com quem você vai se casar aparecerá na lâmina.
>> Rosto do futuro marido? Você deve colocar um papel branco por cima da fogueira de São João, sem queimar. Enquanto reza uma "Salve Rainha", gire o papel sobre o fogo. O desenho feito pela fumaça corresponde ao rosto do homem com quem você vai se casar.
>> Casar depois dos 40? Assista à sete missas seguidas, uma a cada domingo, sempre às sete horas da manhã em uma igreja de Santo Antônio. Ofereça cada missa à Virgem Maria, mãe de Jesus, esposa de José. Após a última missa, acenda sete velas brancas aos pés de uma imagem de Santo Antônio e mentalize o desejo de se casar.
>> Manter a paixão acesa? Após o banho, sempre passe seu perfume preferido no corpo, formando uma cruz que vá da base do pescoço até o umbigo e abaixo do peito, da esquerda para a direita.
>> Banana e casamento? Introduza uma faca virgem numa bananeira. Depois disso, você tem que voltar pra casa sem olhar para trás. No dia seguinte, aparecerá na faca a inicial da noiva ou do noivo. Se não tiver nada, paciência: não vai ter casamento.
>> Um chute do destino? Coloque duas agulhas em uma bacia d’água. Se elas se juntarem, indicam casamento. Escreva em papeletes os nomes de várias pessoas. Enrole os papéis. Depois coloque-os numa vasilha com água; o papel que amanhecer desenrolado indicará o nome da noiva ou noivo.
>> Água suja, água limpa? Separe três pratos: um sem água, outro com água limpa e outro com água suja. Quem faz a experiência aproxima-se com os olhos vendados e põe a mão sobre um deles; o prato sem água não dá casamento; o de água suja indica que o casamento será com um viúvo, e o de água limpa, com solteiro.
>> Nome de mendigo? Ponha uma moeda de um real na fogueira e, no dia seguinte, a recolha, entregando ao primeiro pobre que aparecer. O nome do pobre é o nome do noivo.
>> Aliança bate-bate? Passe sobre a fogueira um copo virgem contendo água. Depois amarre a aliança de uma mulher casada enrolada em um fio de cabelo. Reze uma Ave Maria. Tantas são as pancadas dadas pelo anel nas paredes do copo quanto os anos que o pretendente terá de esperar para se casar.

E veja esse pensamento do Chaplin, que vale a pena levar como lema (recebi de uma amiga, em um momento muito importante. Valeu, minha amiga-irmã!):

“Já perdoei erros quase imperdoáveis, tentei substituir pessoas insubstituíveis e esquecer pessoas inesquecíveis. Já fiz coisas por impulso, já me decepcionei com pessoas que nunca pensei que iriam me decepcionar, mas também decepcionei alguém. Já abracei pra proteger, já dei risada quando não podia, fiz amigos eternos, amei e fui amado, mas também já fui rejeitado, fui amado e não amei, já gritei e pulei de tanta felicidade, já vivi de amor e fiz juras eternas, "quebrei a cara" muitas vezes, já chorei ouvindo música e vendo fotos, já liguei só pra escutar uma voz, me apaixonei por um sorriso, já pensei que fosse morrer de tanta saudade e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo)! Mas vivi! E ainda Vivo! Não passo pela vida... e você também não deveria passar. Viva! Bom mesmo é ir a luta com determinação, abraçar a vida e viver com paixão, perder com classe e vencer com ousadia, porque o mundo pertence a quem se atreve e a vida é muito para ser insignificante."

E esse encontrei na internet: “A lágrima mais triste de uma partida, é sentir seus lábios dizerem adeus, sem o seu coração querer.” (?desconhecido?)


No mês de Santo Antônio “casamenteiro”, que ele olhe por todos que ainda não localizaram sua alma gêmea. E até aqueles que a acharam e estão lutando por ela. A alma. Gêmea. Ou o Alma. GÊMEO.

Nenhum comentário:

EBAAAA! Bom te ver!


Penso, logo, existo. E... se você está aqui, quer saber como eu penso. Se quer saber como eu penso, no mínimo, é curioso.


Curiosos ALOHA fazem bem para o mundo. Então, é nós no mundo, porque não viemos aqui a passeio!


Busco uma visão de longo alcance, sem aceitar verdades absolutas, preservando valores ALOHA, que são o ideal para um mundo mais honesto e verdadeiro.

Assuntos desse blog

Siga-me por email