O que você encontra aqui?

Coisas do mundo e conceitos da autora, que tem uma visão contemporânea do comportamento humano.

domingo, 28 de junho de 2009

Administração sob Espasmo



As empresas são ás vezes (e muitas vezes), um verdadeiro show de humor. Já reparou quantas coisas esdrúxulas e surreais acontecem nelas? Vamos pensar em algumas?

1) Inimigo meu: Qual é o seu pior inimigo? O concorrente? O cliente? O fornecedor? NÃO! O colega do lado! É isso mesmo. As guerrinhas de brilho e o estrelismo do colega do lado são o seu maior inimigo. Quem perde com isso? A empresa!

2) Sempre foi assim: A cultura organizacional conduz a situações para não aceitar a mudança. A frase mais dita na empresa é “Sempre fizemos assim, por que mudar?” Mesmo que essa forma de fazer seja ultrapassada e a esteja conduzindo para um abismo, muitas vezes, sem volta. Quem perde com isso? A empresa!

3) Somos uma família: Empresas familiares são hilárias. Sem comentários aqui, porque quem viver nisso, verá. Quem perde com isso? A empresa!

4) Senhores feudais: Feudos existem, e não são de outro século, acontecem hoje em dia, com cada departamento funcionando para si e por si próprio. Não compreendem que são clientes internos a se atender, e processo sistêmico é visto somente como balela, e não como estratégia administrativa. Quem perde com isso? A empresa!

5) Mundo cibersurrealísticodigital: Você troca emails e PIORRRRR, mensagens de MSN com um colega de escritório, e dependendo do tamanho da corporação (quanto maior, pior), você nem conhece esse colega, ou seja, será que ele existe ou é um bug de computador? Quem perde com isso? A empresa!

6) Respeito é bom e todo mundo gosta: Hierarquia faz acontecer ou não? Bem, na medida certa, é necessária. Nada pode parar, mas é o cúmulo da falta de ética um gestor oferecer um cargo em sua área para um subordinado de outro colega gestor, por exemplo. Quem perde com isso? A empresa!

7) Etiqueta corporativa: Existe? Conheço um caso de um profissional que viajou, e após seu retorno, em um restaurante perto da sua empresa, conheceu uma pessoa que ocupava um cargo...no seu departamento, praticamente o SEU cargo! Yes, isso é real. Aconteceu. Quem perde com isso? A empresa!

8) Todo mundo na mesma empresa: Tive uma assistente que sempre brincava que o maior evento de endomarketing na empresa, poderia ser um baile de casais. Sim, porque nessa empresa, o que mais se via eram parentes (marido, esposa, irmão, pai, mãe, sogro e até sogra!). Olha, acho que não precisa ser proibido namorar o colega, mas isso ser padrão, já é meio demais. Você "entregaria" o defeito de seu marido para seu chefe? Hã? Acho brabo. Quem perde com isso? A empresa!

9) Eu tenho influência: O churrasco do domingo, muitas vezes resolve o destino da empresa. Aí, basta você se relacionar bem com o diretor da empresa, e conduzi-lo a atitudes, entre uma e outra cervejinha... Uau, que profissional, isso. Ah, e aqui também se encaixa o futebolzinho básico com a diretoria. Quem perde com isso? A empresa!

10) Machismo: Quem disser que não existe, venha ser mulher, só um pouquinho. Principalmente, numa cidade de interior. Vem, troca um pouquinho e vem ser mulher, vem... Ah, claro, mas tem as bonitinhas úteis, né mesmo? Recepção em eventos, cafezinho na reunião, decoração dos eventos. Quem perde com isso? A empresa!

11) Papel e relatórios prá todo lado: Burocracia gera emprego, sabia? Claro, é fundamental mais pessoas prá controlar mais pessoas, prá controlar mais pessoas, prá controlar mais pessoas, prá controlar.... Quem perde com isso? A empresa!

E vou ilustrar mais uma situação (a que me motivou a escrever esse texto), a mais comum delas: a administração sob espasmo. Sem planejamento, na loucura, por decisões de final de semana, coisa de louco. Chegando de uma hora para outra, e fazendo todo mundo correr prá execução, correndo mais riscos e podendo gerar (quase sempre gera) mais gastos e desperdícios. Quem perde com isso? A empresa!

Vivemos numa época ridícula, corporativamente falando. E cuidado, verifique se na sua empresa, não é assim. Uau!

Ah, e quem perde com isso? A empresa!

Muitas empresas são como peixes em aquários: observadas por outras empresas-bebês, querendo comê-las, e gatos espertos (fornecedores e clientes), só esperando para abocanhá-las...

Veja essa estorinha corporativa (qualquer semelhança com pessoas, empresas e fatos reais é mera coincidência):

"Todos os dias, a formiga chegava cedo ao escritório e pegava duro no trabalho. Era produtiva e feliz. O gerente marimbondo estranhou a formiga trabalhar sem supervisão e pensou: "se ela é produtiva sem supervisão, vai ser ainda mais se for supervisionada". E colocou uma barata, que preparava belíssimos relatórios e tinha muita experiência, como supervisora. A primeira preocupação da barata foi a de padronizar o horário de entrada e saída da formiga. Logo, a barata precisou de uma secretária para ajudar a preparar os relatórios e contratou também uma aranha para organizar os arquivos e controlar as ligações telefônicas. O marimbondo ficou encantado com os relatórios da barata e pediu também gráficos com indicadores e análise das tendências que eram mostradas em reuniões. A barata, então, contratou uma mosca, e comprou um computador com impressora colorida. Logo, a formiga produtiva e feliz, começou a se lamentar de toda aquela movimentação de papéis e reuniões! O marimbondo concluiu que era o momento de criar a função de gestor para a área onde a formiga produtiva e feliz, trabalhava. O cargo foi dado a uma cigarra, que mandou colocar carpete no seu escritório e comprar uma cadeira especial. A nova gestora cigarra logo precisou de um computador e de uma assistente (sua assistente na empresa anterior) para ajudá-la a preparar um plano estratégico de melhorias e um controle do orçamento para a área onde trabalhava a formiga, que já não cantarolava mais e cada dia se tornava mais chateada. A cigarra, então, convenceu o gerente marimbondo, que era preciso fazer um estudo de clima. Mas, o marimbondo, ao rever as cifras, se deu conta de que a unidade na qual a formiga trabalhava já não rendia como antes e contratou a coruja, uma prestigiada consultora, muito famosa, para que fizesse um diagnóstico da situação. A coruja permaneceu três meses nos escritórios e emitiu um volumoso relatório, com vários volumes que concluía: 'há muita gente nesta empresa'. E adivinha quem o marimbondo mandou demitir? A formiga, claro, porque ela andava muito desmotivada e aborrecida."

"Existem apenas duas coisas infinitas: o Universo e a estupidez humana. E não tenho tanta certeza quanto ao Universo." (by Albert Einstein)

Concordo com você, caro Einstein.

Nenhum comentário:

EBAAAA! Bom te ver!


Penso, logo, existo. E... se você está aqui, quer saber como eu penso. Se quer saber como eu penso, no mínimo, é curioso.


Curiosos ALOHA fazem bem para o mundo. Então, é nós no mundo, porque não viemos aqui a passeio!


Busco uma visão de longo alcance, sem aceitar verdades absolutas, preservando valores ALOHA, que são o ideal para um mundo mais honesto e verdadeiro.

Assuntos desse blog

Siga-me por email