O que você encontra aqui?

Coisas do mundo e conceitos da autora, que tem uma visão contemporânea do comportamento humano.

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Mais Importante?




Você já ouviu isso: 
“Tu é a mulher mais importante da minha vida”...

OUVIU?

Talvez sim, ou não. Talvez se é mulher, ou se é mãe.

Alguém lhe dizer isso... não deveria ser a toa. Não deveria ser “da boca prá fora”. Mas muitas vezes, é.

Agora... se você disser isso... como pode-se mudar tão rapidamente isso?

Tenho um amigo poeta mineiro, o Petrônio. Ele postou em seu perfil o seguinte: “Amantes, nós somos mágicos. Amantes, nós somos trágicos”. Pois não é que é?

Exagero? Mentira?


Mas espere um pouco. O que é muito, o que é pouco? Mesmo porque, o pouco e o muito são relativos.

Pode ser que só o tempo mostre que tudo foi pouco pelo pouco tempo. E que, pelo pouco tempo, foi muito. E se foi muito... muito importante será.

A vida manda sinais. A gente que não quer ver. Ou entende como quer. Ou não está preparado para entender. E perde. Não o tempo... mas as oportunidades de transformar uma vida, em relevante.


Vida domina o aprender, e o tempo de aprender. Necessário torna-se acreditar. Limpar o coração. Ter fé no melhor. Isso não é fácil. Mas necessário. Para que aquilo que não estava pronto... prepare-se. Venha de vez. Integralmente. O novo pode ser o novo de novo, renovado. Fortalecido. Revigorado. Perceber as mensagens do tempo... a sabedoria está em abrir os olhos da alma.


Excesso de alegria. Ou de tristeza.
Excesso de falta de apoio. Ou de apoio.
Excesso de auto-confiança. Ou da falta dela.
Excesso de dinheiro. Ou excesso de nada dele.
Excesso de gratidão/ingratidão. De amor/da falta de coragem para amar.
Excesso de dizer que é a melhor empresa ou a pior.
Excessos. E quem não os tem?
Excesso da crítica não construtiva. Excesso da crítica que tem a intenção de ajudar, com base na percepção de quem a vê. E sempre de quem a vê, e claro.
Somos seres imperfeitos. Em construção. E juntos... Somos mais forte.
A questão a se pensar: qual o excesso que vai me construir, ampliar?
Que o excesso não seja perene, mas que seja eterno enquanto dure. Com toda intensidade.
Somos seres que aprendem a todo instante. Mas nunca, o bastante.


Estamos em uma época em que se estimula demais o hedonismo, onde predomina o egoísmo. O "eu" sou o centro.

Onde cuidar de si mesmo torna-se mais importante que gostar de verdade do outro, e isso pode ser visto como carência.

Perde-se, com isso, a visão do fora de si, olhando somente para dentro. Gostar do outro representa comprometimento e mudança pra melhor. Querer mudar. E ser grato por isso.


PS: Da imagem inicial desse post... o espírito só vai lhe perturbar, quando o que você fizer, for dissonante do que o que de fato... ele quer.

Nenhum comentário:

EBAAAA! Bom te ver!


Penso, logo, existo. E... se você está aqui, quer saber como eu penso. Se quer saber como eu penso, no mínimo, é curioso.


Curiosos ALOHA fazem bem para o mundo. Então, é nós no mundo, porque não viemos aqui a passeio!


Busco uma visão de longo alcance, sem aceitar verdades absolutas, preservando valores ALOHA, que são o ideal para um mundo mais honesto e verdadeiro.

Assuntos desse blog

Siga-me por email