O que você encontra aqui?

Coisas do mundo e conceitos da autora, que tem uma visão contemporânea do comportamento humano.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

O amor está no ar. Quase sempre




O amor está no ar. O tempo todo e a todo tempo, infelizmente, não. Mas tem gente muito criativa, show de bola. Que assume o que realmente quer externar ao mundo. Cito 2 exemplos:

1) Os namorados que se beijaram em meio á barbárie:


Da Internet:

A foto de um casal beijando-se em meio a um distúrbio envolvendo policiais e torcedores em Vancouver, no Canadá, ganhou repercussão global em meios de comunicação e redes sociais, alçando os protagonistas da cena inusitada ao posto de celebridades instantâneas. Alexandra Thomas, ex-estudante da Universidade de Guelph em Ontário, e o australiano Scott Jones, morador de Perth foram flagrados pelo fotógrafo Rich Lam, da agência Getty. A imagem mostra um contraste tão surpreendente entre a violência do confronto entre torcedores e policiais da tropa de choque e a intimidade do beijo do casal, que muitos suspeitaram que tivesse sido montada. Procurados por canais de televisão e sites, o casal tem se mantido recluso. Em sua única e breve entrevista, Alexandra disse que inicialmente não acreditou que seria ela e Scott na foto. Jones foi reconhecido por seu pai, Bret, e explicou que tentava consolar a amiga, que chorava inconsolável, depois de ter sido empurrada por policiais no confronto.


"Scott estava deitado junto dela e só tentava consolá-la e, ao fazê-lo, a beijou na boca para acalmá-la, dizendo que tudo ia ficar bem", contou o pai do jovem. Segundo ele, o casal, que havia assistido à partida de hóquei que o Vancouver perdeu, ficou preso em meio aos manifestantes e a polícia.


Rich Lam, o fotógrafo, disse ao jornal The Vancouver Sun que na hora em que capturou a imagem não havia percebido que as duas pessoas deitadas no chão estavam se beijando. “Eu pensei que eles haviam se machucado”, afirmou.


Veja a foto desse post!


2) O casal criativo que se vestiu e vestiu seus convidados, como em um conto de fadas:


Da internet:

Era o casamento com que eles sonharam depois de terem visto o filme: o noivo de Shrek e a noiva, de Fiona. Mas o bispo não gostou da história desse casório que aconteceu em Garibaldi, na Serra Gaúcha. O desejo da cabeleireira Denise Flores e do namorado Marcelo saiu do convite de casamento, em forma de pergaminho, para a celebração na igreja. Apaixonada pela personagem Fiona, do filme “Shrek”, a cabeleireira decidiu casar caracterizada. Não só ela: o noivo e todos os convidados ajudaram na realização desse sonho. Um dos convidados registrou as imagens.


“O Shrek, apesar de feio, tem coração. A Fiona, apesar de ser uma ogra, tem atitude”, afirma a cabeleireira Denise Flores.


Foi preciso um ano de preparação e muitos argumentos para convencer o frei, que exigiu que nada fosse alterado no ritual da missa. Mas o casamento, realizado no dia 12 de março, desagradou a Igreja Católica. O frei que rezou a missa foi advertido pelo bispo.  Em nota oficial, a Diocese afirmou que o estilo da cerimônia e as roupas usadas pelos noivos e pelos convidados não correspondem à santidade e à seriedade de uma celebração como um casamento. Na cidade serrana, que tem cerca de 30 mil habitantes, o assunto ganhou as ruas. “Acho que não deveria ter permitido”, disse uma senhora. “Foi legal e diferente”, opina uma jovem. “Se o padre deixou, quem sou eu para dizer que não?”, comentou um rapaz. Para Denise, a intenção foi realizar uma cerimônia diferente apenas nos trajes, e não nos princípios religiosos. “Tenho certeza de que minha fé, do Marcelo e da minha família está acima de tudo”, conclui.


Apesar da polêmica, o casal acha que tudo valeu a pena e espera, como no filme, um final feliz.



Gente assim faz bem para o mundo. Faz as pessoas perceberem que o mundo tem várias formas de pensar. Saíram fora da caixa. Ousados e criativos. Por coincidência, ou não. “Planejadamente” ou espontaneamente.

Nenhum comentário:

EBAAAA! Bom te ver!


Penso, logo, existo. E... se você está aqui, quer saber como eu penso. Se quer saber como eu penso, no mínimo, é curioso.


Curiosos ALOHA fazem bem para o mundo. Então, é nós no mundo, porque não viemos aqui a passeio!


Busco uma visão de longo alcance, sem aceitar verdades absolutas, preservando valores ALOHA, que são o ideal para um mundo mais honesto e verdadeiro.

Assuntos desse blog

Siga-me por email