O que você encontra aqui?

Coisas do mundo e conceitos da autora, que tem uma visão contemporânea do comportamento humano.

segunda-feira, 3 de março de 2014

A traição, Grazi e Belvita e as princesas




É incrível como a traição é algo que magoa. E traição de todos os tipos: entre amigos, irmãos, colegas e é claro, amantes ou qualquer nome que você queira dar a uma situação entre pessoas que tenham uma relação amorosa, especialmente quando e se envolver o ato sexual.

É, talvez seja essa a grande questão. Sofremos por amor ou porque estabelecemos uma relação sexual? Ou seria pela confiança depositada? Creio que tudo isso engloba a questão, mas o que pega mesmo, não é tanto o amor. Creio que o ato em si possa colocar em choque nossa performance sexual, por assim dizer. E o quanto nossas relações são verdadeiramente confiáveis, ou não. O quanto aqueles que depositamos expectativas, estavam realmente comprometidos com elas.

E vamos combinar o seguinte: mais estressante que a própria traição, é nossa imagem pública, especialmente se você é uma pessoa realmente pública. Conhecida. Reconhecida. Nessas horas, é de fato difícil acreditar no amor. Ao menos, em um amor como o do filme que retrata a imagem desse post e que já indiquei aqui: “Notebook”, ou “Diário de uma paixão”.

Uma atriz global viveu na pele, e na vida real, a situação de uma possível traição. Trouxe a polêmica da traição novamente em pauta, e sofreu um bocadinho. E mesmo assim, deu a volta por cima. Inclusive através de uma marca que a acompanhava: Belvita.


Isso que é fazer do limão, uma limonada. Ou fazer da bolachinha, uma excelente acompanhante no café da manhã. Quem precisa de algo mais se tem uma deliciosa bolachinha Belvita prá energizar o seu dia? Eu preciso. Mas nunca de um lindinho que definitivamente, não consegue ser fiel. Fidelidade, não tem preço.

E se você ainda acredita em princesas, veja seus significados:

Nenhum comentário:

EBAAAA! Bom te ver!


Penso, logo, existo. E... se você está aqui, quer saber como eu penso. Se quer saber como eu penso, no mínimo, é curioso.


Curiosos ALOHA fazem bem para o mundo. Então, é nós no mundo, porque não viemos aqui a passeio!


Busco uma visão de longo alcance, sem aceitar verdades absolutas, preservando valores ALOHA, que são o ideal para um mundo mais honesto e verdadeiro.

Assuntos desse blog

Siga-me por email